Metal Reunion Zine

Blog que reúne notícias referentes a bandas, artistas, eventos, produções, publicações virtuais e impressas, protestos, filmes/documentários e quadrinhos independentes/underground ligados de alguma forma a vertentes da cultura Rock'n'Roll e Heavy Metal do Brasil e também de alguns países que possuem parceiros de distribuição do selo Music Reunion Prod's and Distro e sua divisão Metal Reunion Records.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

HARMONY FAULT - Rotting Flesh Good Meal - Resenha CD


HARMONY FAULT
“Rotting Flesh Good Meal”
Rotten Foetus/Cauterized Productions/Violent – Nac.

Depois de várias Demos, EPs e splits, a banda gaúcha Harmony Fault finalmente chega ao seu primeiro full lenght, lançado em parceria com três selos bem conhecidos no meio Underground. Até mesmo aqueles que não conhecem a banda, mas estando com esse material em mãos, antes mesmo de o colocar para tocar, terá uma ideia do som praticado por Guilherme (baixo/vocal), Calebe (bateria/screams) e Pulga (guitarra), já que sua capa, com um zumbi carregando, numa bandeja, vísceras ou algo parecido, ‘entrega’ o seu estilo. Isso mesmo: Goregrind, com algumas pitadas de Splatter e até mesmo de Death Metal. Se bem que o início do CD, com a instrumental “Paura” é bem Punk/Hardcore com algo de Thrash Metal. Já a música seguinte, a faixa título, com toda a sua demência, trazendo vocais guturais/vomitados, com algumas passagens gritadas, escancara o intuito sonoro do Harmony Fault. Vale mencionar que a gravação está muito boa, com a parte instrumental bem definida, inclusive as linhas de baixo, que estão bem ‘na cara’, como pode se ouvir em “Os Dentes de Berenice”. O ‘track list’ do álbum conta com dezenove singelas canções, com títulos bem sutis, tais como “Screaming Headshot”, “Cock Cola”, “Incinerate the Bones”, “Minúsculos Seres que Devoram Tua Podre Carne”, entre outros. Como já deu para perceber, existe uma alternância no idioma usado pela banda, já que muitas músicas são cantadas em nossa língua pátria, além do inglês, porém o tipo de vocal usado deixa bem difícil se entender algo do que vem a ser cantado/expelido/vomitado. O encarte é simplório, mas bem informativo, inclusive com algumas notas explicativas sobre as músicas contidas em “Rotting Flesh Good Meal”. Altamente indicado aos fãs de um som podreira e descompromissado.
Resenha Por Valterlir Mendes


Nenhum comentário:

Postar um comentário